NANODISPOSITIVOS E NANOSENSORES

Galeria de Projetos

Agronegócio

Inovação na produção agrícola: nanocompósitos hidrofóbicos para controle de liberação dos fertilizantes

O Brasil é um dos principais produtores de alimentos do mundo e, ao que tudo indica, deve ser o maior produtor até 2050. Embora tenhamos água, terra e clima favorável, 33% da nossa produção agrícola depende do uso de fertilizantes. Hoje, em aproximadamente 40% do alimento produzido no mundo utiliza-se fertilizantes.

Entre os diversos tipos e composições de fertilizantes, 98% dos fertilizantes sólidos são aplicados no solo na forma granulada. Sendo assim, dos 22 milhões de toneladas de fertilizantes consumidos no Brasil em 2015, 21,5 milhões foram na forma granulada. Devido a composição, estrutura, sistema de armazenamento, transporte e aplicação, os fertilizantes granulados apresentam alguns problemas, que surgem antes mesmo de sua aplicação, como a formação de pó e aglomerados.

Depois da aplicação, já no solo, novos problemas ocorrem, tais como a volatilização, mineralização e lixiviação de nutrientes. Um exemplo é a ureia (fertilizante nitrogenado), onde as perdas alcançam até 70%. Para minimizar estes transtornos, muitos importadores e fabricantes de fertilizantes revestem os grânulos com recobrimentos à base de enxofre, óleo mineral ou polímeros.

Entretanto, os recobrimentos disponíveis apresentam uma série de limitações tais como preço; a não resolução do problema na sua completude (reduzem o pó, mas não são eficazes contra os problemas de formação de aglomerados, lixiviação e volatilização); e não proporcionam uma interface funcional e nutricional adequada entre o grânulo, o solo e o meio ambiente.

Por essas razões, existe uma oportunidade de negócio para um recobrimento nanoestruturado de fertilizantes granulados que possui propriedade hidrofóbica, anti-aglomerante e que controla a liberação dos nutrientes dos fertilizantes. Um recobrimento com essas características atende a todas as demandas reclamadas por importadores e granuladores de fertilizantes.

Parceiros:

DachamirHotza
LINDEN/UFSC

LINDEN/UFSC


Voltar