DICAS


Reunião entre Abipti e SibratecNANO discute parceria e benefícios para ICTs associadas

Júlio César Felix, ex-presidente da Abipti e presidente do Tecpar; Luiz Fernando Vianna, recém eleito presidente da Abipti; e Carlos César Bufon, coordenador do SibratecNANO

Durante o Congresso Abipti 2018, em São Luís (MA), foi realizada uma reunião entre o presidente da Abipti, Luiz Fernando Vianna, o coordenador geral do SibratecNANO – Centros de Inovação em Nanotecnologia, Carlos César Bufon, e associados da entidade. O encontro discutiu uma possível parceria que propicia benefícios às ICTs ligadas à Abipti.

O SibratecNANO é uma iniciativa do Governo Federal, operado pela Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa – FUNDEP, que aproxima, articula e financia projetos cooperativos entre empresas e 23 laboratórios que fazem parte do Sistema Nacional de Laboratórios em Nanotecnologias (SisNANO).

A iniciativa tem por objetivo incentivar e potencializar investimento em inovação em empresas de base tecnológica brasileiras, tendo como foco micro e pequenas empresas, embora não exclua a participação de médias e grandes.

“O SibratecNANO tem esse objetivo de atender demandas do setor produtivo na área de nanotecnologia, então a rede foi construída a partir dos laboratórios nacionais de referência na área, aqueles que provaram, de fato, que possuem competência, capital humano, e infraestrutura”, comentou o coordenador geral do SibratecNANO, Carlos César Bufon.

Em razão das propostas de projetos, muitas vezes, não envolverem apenas nanotecnologia, o SibratecNANO tem incentivado com que os laboratórios pré-aprovados para conduzirem os projetos façam parcerias com ICTs, para, assim, poderem assumir novos escopos de trabalho. Daí surgiu o interesse da parceria com a Abipti.

Como a Abipti trabalha visando gerar oportunidades para seus associados, a reunião foi propícia para a aproximação. “A Abipti está apoiando a iniciativa e a ideia é que a gente leve isso como benefício para os nossos associados”, afirmou o presidente da Abipti, Luiz Fernando Vianna. “É uma forma de expandir o portfólio do que nós podemos oferecer para eles”, completou.

A demanda de projetos pode surgir de ambos os lados. Tanto o laboratório pode ter uma posição proativa de ir até empresas, quanto as empresas podem ir até os eles. “A empresa, dependendo do tamanho, entra com uma contrapartida financeira proporcional ao que o SibratecNANO aporta. Então, essa empresa irá utilizar as competências instaladas no laboratório, capital humano, equipamento de última geração, contará com o auxílio de alunos e docentes treinados para trabalharem nos projetos, e, no final, a empresa terá um produto de propriedade intelectual, que poderá licenciar com exclusividade, aumentando seu portfólio de produtos”, explicou o coordenador geral.

“A Abipti conecta várias instituições de pesquisa, e essas instituições também têm contato com empresas, então, hoje, o SibratecNANO enxerga a Abipti como um parceiro para levar a ideia às empresas. Nós queremos uma junção de competências, queremos que as ICTs parceiras venham trazer conhecimento para os laboratórios SisNANO, para, assim, aumentar o potencial de inovação e o portfólio de serviços”, finalizou.

 

Fonte: ABIPTI


Nanotecnologia como plataforma de inovação

Quer aplicar a nanotecnologia em novas soluções para o mercado? No programa SibratecNANO, você pode desenvolver esta inovação em parceria com empresas e contar com financiamentos de R$ 100 mil a R$ 400 mil. O período de submissão de projetos começa hoje (4/12)

Instrumento de aproximação entre setor empresarial e rede científica, o Sistema Brasileiro de Tecnologia – Centro de Inovação em Nanotecnologia (SibratecNANO) está com o 4º ciclo de avaliação aberto. O chamamento convida empresários e pesquisadores do Sistema Nacional de Laboratórios em Nanotecnologias (SisNANO) a formarem uma parceria para o desenvolvimento de projetos inovadores. O programa prevê apoio financeiro de R$ 100 mil a R$ 400 mil para a execução das iniciativas.

 

Prazo aberto para envio de propostas

O período para submissão de propostas começa hoje, dia 4 de dezembro, e segue até 29 de janeiro de 2018. Empresários, com a colaboração de um ou mais laboratórios do SisNANO, podem submeter projetos direcionados à inovação em produtos e processos nanotecnológicos, com foco no mercado e na geração de valor para negócios e sociedade.

Os projetos devem atender uma das redes de interesse do SibratecNANO: Centro de Inovação em Nanomateriais e Nanocompósitos; e Centro de Inovação em Nanodispositivos e Nanosensores.

Pesquisadores de Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs) que possuem laboratórios credenciados ao SisNANO e ao SibratecNANO podem se vincular para submeter projetos. Já os pesquisadores que atuam no SisNANO podem buscar empresas para firmarem parceria.

 

Confira as orientações completas e a lista dos laboratórios credenciados no SibratecNANO: www.sibratecnano.com

 

SibratecNANO Com recurso do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), e execução da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), o Programa articula e financia projetos cooperativos entre empresas e ICTs que compõem o Sistema Nacional de Laboratórios em Nanotecnologias (SisNANO), também vinculado ao Governo Federal.

Juntas, essas instituições formam um grupo que cria oportunidades de apoio ao desenvolvimento tecnológico e ao potencial inovador de empreendimentos nacionais de todos os portes, especialmente as microempresas, por meio de soluções nanotecnológicas.

O SibratecNANO está se consolidando como uma iniciativa que atua na ampliação da inovação das empresas para, assim, expandir a qualidade de produtos e a maturidade de negócios e processos, elevando o valor, a produtividade e a competitividade das organizações no mercado brasileiro.

 

O SibratecNANO é executado pela Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa


PANNANO REÚNE INSTITUIÇÕES NACIONAIS E INTERNACIONAIS DE NANOTECNOLOGIA

A primeira edição da Pannano, Conferência Pan-Americana de Nanotecnologia, começou hoje, dia 27, e vai até 30 de novembro. Com realização na cidade de Guarujá, em São Paulo, a iniciativa promove o encontro de especialistas para discutir o uso da nanotecnologia e nanopartículas no desenvolvimento de aplicações úteis e sustentáveis na América do Norte, do Sul e Central.

A Conferência é a oportunidade para alcançar a maior assembleia de nanotecnologia do mundo, propiciando redes e parcerias na área. A programação visa capacitar pesquisadores e indústrias sobre aspectos sociais e econômicos dos nanomateriais e da nanotecnologia em produtos de consumo e atividades industriais, além de disseminar conhecimento sobre nanotecnologia, interações e comportamentos dos nanomateriais com diferentes sistemas biológicos, químicos e ambientais.

SibratecNANO na Conferência

O SibratecNANO, Sistema Brasileiro de Tecnologia/Centro de Inovação em Nanotecnologia, patrocina a Pannano e vai marcar presença no evento. Com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTI) e Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), e executado pela Fundep, o programa articula e financia projetos cooperativos entre empresas e os pesquisadores dos Institutos de Ciência e Tecnologia (ICTs) que compõem o Sistema Nacional de Laboratórios em Nanotecnologias (SisNANO), também vinculado ao Governo Federal.

Juntas, essas instituições formam um grupo que cria oportunidades de apoio ao desenvolvimento tecnológico e ao potencial inovador de empreendimentos nacionais de todos os portes, especialmente as microempresas, por meio de soluções nanotecnológicas.

O SibratecNANO é de fluxo contínuo e possui ciclos de avaliações de acordo com suas redes. Com um estande na Pannano, o Programa vai divulgar detalhes sobre o seu funcionamento, os laboratórios participantes e o próximo ciclo de avaliações de projetos com prazo para submissão a partir do dia 4 de dezembro.

 

Pannano 2017

Data: 27 a 30 de novembro

Local: Hotel Casa Grande Convention Center, Praia do Guarujá, São Paulo – Brasil – Mapa

Programação completa

Para mais informações acesse: www.panamericannano2017.com


Workshop Sibratec-SisNano estrutura redes de Centros de Inovação

Com o objetivo de organizar duas redes de Centros de Inovação em nanotecnologia no âmbito do Sistema Brasileiro de Tecnologia – Sibratec, estruturada por laboratórios pertencentes ao Sistema Nacional de Laboratórios em Nanotecnologia – SisNano, do MCTI, coordenadores dos laboratórios e representantes de instituições de pesquisa e de financiamento envolvidos reuniram-se em Workshop no Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear – CDTN, em Belo Horizonte (MG).

O evento aconteceu nos dias 06 e 07 de agosto de 2015, com a presença de mais de 40 participantes, tendo o apoio e representação da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa – Fundep, vinculada à UFMG e responsável pela implementação e gestão administrativo-financeira das redes, da Financiadora de Estudos e Projetos – Finep e da Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

As redes da Sibratec-SisNano organizadas neste workshop foram as de Centros de Inovação em Nanodispositivos e Nanosensores e de Nanomateriais e Nanocompósitos, que têm, respectivamente, a seguinte composição:

 Nanodispositivos e Nanosensores
Labnano-CBPF
CCS-Unicamp
Embrapa-LNNA
LabDIS-PUC/RJ
LabEngNano-Coppe/UFRJ
NAPNN-USP
LarNano-UFPE
CCDPN-Unesp
LNNano-CNPEM
LANano-UFMG 

 

 

Nanomateriais e Nanocompósitos
CCS-Unicamp
LQN-CDTN
Embrapa-LNNA
Nanobioss-Unicamp
IBMP-UFPR
LIN-Ipen
LPP-IPT
Cenano-INT
CLN-UFABC
Central Analítica – UFC
LabEngNano-Coppe/UFRJ
Cetene
NAPNN-USP
LCE-UFSCar
LCNano-UFPR
LCP-UFV
LNNano-CNPEM
LINDEN-UFSC
LANano-UFMG

workshop sibratecAbertura do Workshop Sibratec-SisNano no CDTN

 

A Nanotecnologia no CDTN
O CDTN, em nanotecnologia, destaca-se na área de manipulação química de nanotubos de carbono e grafenos, em pesquisas em materiais nanoestruturados para bioaplicações e em filmes finos, superfícies e interfaces de materiais magnéticos nanoestruturados. Hoje, a participação deste Centro no SisNano está limitada à área de manipulação química de nanoestruturas de carbono e grafenos, mas deve ser ampliada muito em breve.

O evento representou uma ótima oportunidade de divulgação das competências e infraestruturas diferenciadas deste Centro em nanotecnologia, bem como resultou na antecipação da discussão interna sobre a ampliação da participação institucional do CDTN no SisNano.

workshop sibratec 02

Participantes do Workshop Sibratec-SisNano

workshop sibratec 03

 Workshop Sibratec-SisNano

Fonte: http://www.cdtn.br/ultimas-noticias/113-areas-de-atuacao/222-workshop-sibratec-sisnano-estrutura-redes-de-centros-de-inovacao


Adsorventes Magnéticos para o Tratamento de Efluentes

Golden Technology e Instituto de Química, Universidade de São Paulo

efluente-bruto-e-efluente-tratado

A água é um recurso natural fundamental que vem se tornando cada vez mais escasso em função da demanda crescente pelo setor agropecuário, do setor industrial e doméstico, mas também devido a disposição indevida de rejeitos diretamente ou indiretamente nos corpos d’água em decorrência da crescente atividade humana. Além disso, vale lembrar que apesar do planeta Terra ser conhecido como “planeta água”, a quantidade de água doce disponível é de apenas cerca de 3% do volume total, sendo 97% água salgada ou salobra. Assim, esse recurso natural aparentemente abundante é na realidade bastante escasso, de modo que o desenvolvimento de materiais e processos mais eficientes e baratos para remoção de contaminantes para purificação e remediação ambiental são de suma importância para a preservação dos recursos hídricos e, portanto, da saúde pública e da fauna e flora aquáticas.

Dentre os agentes poluentes, aqueles solúveis em água são especialmente perigosos por serem facilmente absorvidos pelos organismos vivos, provocando efeitos tóxicos ou biológicos indesejados. Dentre eles podem ser citados corantes, hormônios, pesticidas e metais pesados, cada vez mais presentes como contaminantes de corpos d’água. Todos se caracterizam pelo fato de serem de difícil remoção de modo que podem estar presentes em concentrações acima das recomendadas pelos órgãos de fiscalização ambiental e de saúde, mesmo após tratamento pelos processos convencionais atualmente utilizados. Por outro lado, o uso de tecnologias mais sofisticadas como ultra-filtração por membrana e osmose reversa, ainda são caros tendo-se em vista os grandes volumes envolvidos.

Assim, neste projeto visamos a produção em escala piloto de adsorventes magnéticos capazes de remover eficientemente contaminantes solúveis, pois podem ser dispersados em grandes volumes de água e coletados com um imã, deste modo removendo as substâncias tóxicas que ficam retidas no material. Estas por sua vez podem ser removidas por meio de tratamentos específicos de modo a regenerar o material, que assim pode ser reutilizado diminuindo os custos e o impacto ambiental decorrente da sua produção. Em suma, trata-se de nanotecnologia sustentável e voltada para a preservação dos recursos hídricos, fundamentais para a manutenção da vida, do meio ambiente e da atividade econômica, assim contribuindo para o desenvolvimento sócio-econômico do país.


Voltar