DICAS


Oportunidade – Programa para Concessão de Bônus Tecnológico e Bolsas para Inovação em Manufatura Avançada

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), e com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), lança chamada pública do Programa para Concessão de Bônus Tecnológicos e Bolsas para Inovação em Manufatura Avançada.

O objetivo é apoiar projetos de pesquisas, desenvolvimento e inovação para soluções em produtos, processos e serviços para manufatura avançada, realizados por micro e pequenas empresas (MPE), em parceria com médias e grandes empresas (Empresas Parceiras/Âncora). O apoio será por meio da concessão de Bônus Tecnológico conjugado com bolsas para capacitação e desenvolvimento tecnológico.

As propostas devem estar vinculadas a uma ou mais áreas estratégicas tecnológicas, aplicáveis à Manufatura Avançada, conforme o Plano de CT&I para Manufatura Avançada no Brasil. Ao todos, serão destinados R$ 2 milhões para apoiar os projetos.

O prazo para submissão de propostas é até dia 2 de outubro de 2018. Clique aqui para obter as informações completas da seleção.

 

  • Público alvo: Micro e Pequenas Empresas em parceria com empresa Ancora (empresas Média ou Grandes) com contrapartida mínima de 20%, seja econômica ou financeira.
  • Benefícios: Bolsas para Formação Tecnológica e Realização de Serviços em ICT: as seguintes instituições poderão ser contratadas por meio do Bônus Tecnológico: Laboratórios integrantes do SibratecNANO: http://www.sibratecnano.com/laboratorios/
  • Foco: soluções para Manufatura Avançada nas seguintes áreas estratégicas:
  1. Tecnologia de Informação e Comunicação
  2. Nanotecnologia
  3. Computação em nuvem
  4. Sensores e atuadores
  5. Gestão de dados (Big Data)
  6. Novos materiais
  7. Fotônica
  8. Impressoras 3D
  9. Sistemas ciberfísicos
  10. Internet das coisas (IoT)
  11. Automação
  12. Energias renováveis
  13. Simulação e modelagem
  14. Interoperabilidade
  15. Segurança cibernética
  16. Inteligência artificial
  17. Robótica avançada
  • Valor: Máximo de R$ 30 mil para contratação de serviços em ICT;
  • Valor: Máximo de R$ 30 mil para Bolsas de formação tecnológica:

– Modalidades: DTI ou EV

– Prazo: Máximo de 12 meses
Fonte: Portal CNPq

 

Dúvidas sobre a oportunidade? Envie uma mensagem para 

 


Indústria

Nanotecnologia para a preservação de recursos hídricos: adsorventes magnéticos no tratamento de efluentes

efluentes

A água é um recurso natural fundamental que vem se tornando cada vez mais escasso em função da demanda crescente pelos setores agropecuário, industrial e doméstico, mas também devido à disposição indevida de rejeitos diretamente ou indiretamente nos corpos d’água em decorrência da crescente atividade humana.

Além disso, vale lembrar que, apesar do planeta Terra ser conhecido como “planeta água”, a quantidade de água doce disponível é de apenas cerca de 3% do volume total, sendo 97% água salgada ou salobra. Assim, esse recurso natural aparentemente abundante é na realidade bastante escasso, de modo que o desenvolvimento de materiais e processos mais eficientes e baratos para remoção de contaminantes e purificação e remediação ambiental são de suma importância para a preservação dos recursos hídricos e, portanto, da saúde pública e da fauna e flora aquáticas.

Dentre os agentes poluentes, aqueles solúveis em água são especialmente perigosos por serem facilmente absorvidos pelos organismos vivos, provocando efeitos tóxicos ou biológicos indesejados. Dentre eles podem ser citados corantes, hormônios, pesticidas e metais pesados, cada vez mais presentes como contaminantes de corpos d’água. Todos se caracterizam pelo fato da difícil remoção, de modo que podem estar presentes em concentrações acima das recomendadas pelos órgãos de fiscalização ambiental e de saúde, mesmo após tratamento pelos processos convencionais atualmente utilizados. Por outro lado, o uso de tecnologias mais sofisticadas como ultra filtração por membrana e osmose reversa, ainda são caros tendo-se em vista os grandes volumes envolvidos.

Assim, o projeto visa a produção em escala piloto de adsorventes magnéticos capazes de remover eficientemente contaminantes solúveis, pois podem ser dispersados em grandes volumes de água e coletados com um imã, removendo as substâncias tóxicas que ficam retidas no material. Essas, por sua vez, podem ser removidas por meio de tratamentos específicos de modo a regenerar o material, que assim pode ser reutilizado diminuindo os custos e o impacto ambiental decorrente da sua produção. Em suma, trata-se de nanotecnologia sustentável e voltada para a preservação dos recursos hídricos, fundamentais para a manutenção da vida, do meio ambiente e da atividade econômica contribuindo para o desenvolvimento socioeconômico do país.

Parceiros

Golden Technology e Instituto de Química, Universidade de São Paulo


Voltar