Publicações

Nanopartículas de Dióxido de Titânio

Chemyunion Ltda e Instituto de Química, Universidade de São Paulo

O banho de sol é fundamental para a produção de vitamin D e a manutenção da saúde física e mental, mas a exposição excessiva pode provocar o aparecimento de queimaduras, manchas e em casos mais graves câncer de pele. De fato, em países apresentando grande incidência solar, principalmente de radiação UVA-UVB, e/ou uma cultura que favorece a excessiva exposição solar, tem-se verificado incidência significativa de melanoma. De fato, o câncer de pele é o mais frequente no Brasil, correspondendo a cerca de 25% de todos os tumores malignos registrados no Instituto Nacional do Câncer, INCA. Mas, situação similar foi reportada em outros locais do globo como na Inglaterra, onde o melanoma maligno foi o quinto tipo de câncer mais frequente em 2014. Por outro lado, estima-se que 66% dos australianos irão apresentar algum tipo de câncer de pele até os 70 anos, segundo dados do Conselho de Câncer Australiano.

Dentre os protetores solares, o dióxido de titânio é um dos mais largamente utilizados tendo-se em vista sua alta eficiência e estabilidade aliadas a baixa toxicidade.  De fato, sua utilização é aprovada globalmente e está presente em mais de 25% dos produtos que oferecem proteção solar, particularmente em produtos infantis e produtos para peles sensíveis devido ao baixo risco de irritação quando comparado à outras substâncias fotoprotetoras. Porém, tendem a apresentar um sensorial bastante desagradável devido a formação de um filme branco e pegajoso na superfície da pele, fazendo com que os usuários apliquem menos protetor solar do que o necessário para apresentar eficácia.

Porém, o segmento de proteção solar carece de inovações em especial pelas dificuldades encontradas no desenvolvimento de materiais apresentando propriedades adequadas para aplicação como protetores solares. Neste projeto visamos o desenvolvimento e a produção em escala piloto de nanopartículas de dióxido de titânio, totalmente dispersáveis em formulações cosméticas, gerando produtos seguros e eficientes, mais transparentes e com sensorial melhorado. Tais características serão verificadas e monitoradas por meio de ensaios específicos realizados nos laboratórios da Chemyunion ou de empresas parceiras, obedecendo as rígidas normas e boas práticas, de modo a garantir a alta qualidade dos produtos gerados. Em suma, os materiais desenvolvidos neste projeto irão contribuir para melhorar a saúde e o bem-estar, aumentando a qualidade de vida da população, além de contribuir para aumentar a competitividade dos produtos brasileiros.

Responsáveis:

Prof. Dr. Marcelo N.P. Carreño (Coordenador), Escola Politécnica, USP

Prof. Dr. Koiti Araki, Istituto de Química, USP

Dr. Cesar F. Amorim, EMG System do Brasil Ltda.


Voltar

Categorias

Veja também

PROJETOS APROVADOS – CICLO 04/2018

Confira os resultados de cada rede NANODISPOSITIVOS E NANOSENSORES ÁREA: NANODISPOSITIVOS E NANOSENSORES – CICLO 01/2018 Empresa LabSisNano SAWDES Laboratório…

Leia mais

Redes de Centros de Inovação do Sibratec/SisNano vão distribuir R$ 24 milhões para projetos de P&D ligados à nanotecnologia

O Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação (MCTI) aprovou a criação de duas Redes de Centros de Inovação, uma em…

Leia mais

Rede SisNano será integrada ao Sibratec para estimular a indústria de nanotecnologia no Brasil

Vários especialistas em nanotecnologia se reuniram nesta semana em Brasília (DF) para debater os rumos do setor no País. E…

Leia mais